In: Viela do Hilário – da minha autoria

Sê diferente. Sê tu próprio.

Antes de começarem a ler os meus pensamentos escritos [naquela que é a minha estreia aqui, nesta viela que é do Hilário], penso que o mais acertado será apresentar-me a mim e à minha alma, o que vai nela e aquilo que a define [afinal de contas a alma é a essência que nos torna humanos].

Já fui definido, por alguém que me é muito especial, como um ser vindo doutro planeta [estranho, confesso]. Esta caracterização é, simplesmente, a melhor que alguma vez fizeram de mim. Atrevo-me mesmo a dizer que nenhuma a irá ultrapassar. Estranho pensam vocês… mas eu sempre tive uma ideologia, bastante vincada no meu ser, que se pode traduzir em apenas duas palavras: Ser diferente!

Diferente é bom. Diferente é o oposto do normal, diferente é o equilíbrio que nos separa entre uma vida rica [em tudo!] e a monotonia sedentária que atormenta, infelizmente, a vida de muitos. Eu digo o que penso, à frente de quem seja e em qualquer altura [mas sem nunca me esquecer para quem estou a falar]; eu faço aquilo em que acredito; eu luto por aquilo que quero. Pareço perfeito, mas não sou. E ainda bem! Estar longe da perfeição significa que há sempre espaço para melhorar, para aprender [não, ninguém sabe tudo. Nem o eterno Sr. Einstein!] e para me tornar em alguém melhor.

Eu quero fazer a diferença, eu quero que todos façamos a diferença. Mas não é fácil… primeiro, têm de se aceitar a vocês próprios, às vossas capacidades, ao vosso corpo, à vossa forma de pensar e estar. Não se transformem naquilo que os outros querem ver. Sejam vocês próprios e lutem por aquilo que querem. Por um mundo onde a indiferença e ignorância não têm lugar, por um mundo onde a justiça não está corrompida, por um mundo no qual vocês perseguem os vossos sonhos, por um mundo onde a vossa realidade é o vosso sonho.

Não é uma luta fácil, existirão pessoas que vos irão empurrar para baixo e que desejarão apenas o vosso mal, insucesso e infelicidade.existirão outras [muito poucas] que vos irão apoiar e ajudar tanto quanto possível. Quanto ao que de mau aconteceu [ou poderá eventualmente vir a acontecer] convosco, lembrem-se do que o grande Pessoa disse: “Pedras no caminho? Guardo todas, um dia vou construir um castelo…”

Esse castelo é o vosso sonho. E a sua beleza e tamanho depende, apenas, da vossa vontade de lutar pelo que querem, depende de se aceitarem como são [pois nunca poderão tornar-se em alguém que não vocês próprios] e depende, como não poderia deixar de ser, do Fado que vos persegue.

Advertisements

3 Comments Add yours

  1. Every writer I know has trouble writing.
    -.-.-.-…..—–.-.-.-.-.-.-.-.-.-…..—-.-.-.-.–
    Joseph Heller

  2. belíssimo texto. parabéns.

    1. Muito obrigado. O que eu pretendo com a minha escrita é a de suscitar o espírito crítico, a de alertar para a existência de algo mais e a de não desistirmos de nós próprios, que é o que por vezes fazemos. É preciso sonhar, é preciso imaginar e, sobretudo, é preciso sentir =)

      O seu blogue é muito bom também. Ainda não tive oportunidade de o ver na totalidade mas o que vi agradou-me, muito.

      Um abraço e um excelente fim de semana.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s